MARIA EMILIA RIQUELME Y ZAYAS, nascida em Granada, no dia 5 de agosto de 1847, viveu durante a segunda metade do século XIX e em quase toda primeira metade do século XX. Seus pais D. Joaquim Riquelme y Gómez e D. Maria Emília Zayas de La Vega, profundamente religiosos, constituem um lar cristão para sua filha. Maria Emília tinha apenas sete anos quando sua mãe morreu. Ela recorreu à Santíssima Virgem, e a partir daí, o seu amor por Maria foi crescendo de tal modo, que fez uma experiência maravilhosa da Santíssima Virgem.

Sendo a filha mais velha de quatro irmãos, ficou só com seu pai. Nenhum dos irmãos consegue viver muito tempo. Maria Emília teve tudo que uma jovem pode desejar: cultura, posição, além de muitas virtudes que realçam o seu encanto. Mas o que a deixava feliz era pensar na possibilidade de ser toda do Senhor e segui-lo na Vida Religiosa, entretanto seu pai não aceita; o resultado foi que a conselho de seu confessor, retarda a sua entrada no convento enquanto o seu pai for vivo. Com Carinho e dedicação, sente as necessidades do seu tempo e redobra o seu trabalho a favor dos mais necessitados. No entusiasmo dos Exercícios Espirituais e na Adoração ao Santíssimo Sacramento nasce esse desprendimento de total entrega e lança-se a cumprir a vontade de Deus. Abre um caminho com estilo próprio na Igreja.

Assim, ao anoitecer de um século surge a Obra de Maria Emília, ou melhor, a “Obra de Maria” denominação dada a congregação que ela fundou no dia 25 de março de 1896, na Cidade de Granada com o nome de MISSIONÁRIAS DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO E MARIA IMACULADA. O pequeno grupo de mulheres destemida, fazia adoração dia e noite ao Santíssimo Sacramento para pedir por todo o mundo, enquanto aguardavam a vez de levar Jesus a outras terras. Sucedem-se as fundações na Espanha. Viaja a Roma e obtém o Decretum Laudis e a Aprovação Pontifícia. Quase no fim da sua vida, vê com alegria fundações no Brasil e mais tarde em Portugal. Em 1940, 5 anos após a fundação no Brasil, morre Maria Emília na Casa Mãe em Granada, cheia de virtudes e graça por ter cumprido a vontade do Senhor em sua vida.